Bem-Vindo à Página Oficial da
Liga dos Combatentes


 

 








 

 

 

 

 








 
 

 

 

  Notícias

Cerimónias das Comemorações do 80º Aniversário do Núcleo de Monção


23.05.2015 - Cumprindo o elementar princípio de qualquer missão militar, vem o Núcleo de Monção da Liga dos Combatentes dar conhecimento aos Sócios e simpatizantes, de que, quando se mostram concluídas as Cerimónias das Comemorações do 80º Aniversário da fundação deste Núcleo, podemos afirmar com todo o orgulho: MISSÃO CUMPRIDA! Efectivamente, entre o içar da Bandeira da Liga dos Combatentes, às 10.00 horas do dia 21 de Maio e último abraço ao Convidado mais retardatário, após a Missa de Sufrágio no dia 24, todo o Programa atempadamente elaborado, foi rigorosamente cumprido, sem omissão perceptível. O ponto alto das Cerimónias, foi, sem dívida, a Sessão de Conferências que teve lugar no Cine Teatro João Verde, durante a tarde do dia 23.


Por dever de consciência e em cumprimento dum irrecusável imperativo de coração, comum a todos os Monçanenses, impõe-se reconhecer a qualidade daquele Espaço que é o Cine Teatro João Verde. É notável a obra de requalificação do edifício, quer pelas funcionalidades que oferece, quer pela estrutura e beleza da decoração nele incorporada. Por este razão, e considerando a bondade da sua cedência para a realização da Sessão de Conferências, o Núcleo de Monção da Liga dos Combatentes vem dar público louvor e agradecimento à Autarquia de Monção pela sua incondicional colaboração que nos ofereceu. Mas a dignidade e a categoria das instalações e serviços do Cine Teatro João Verde, também têm um custo: exigência, qualidade e nível equivalente dos seus utilizadores!

Sempre estivemos cientes desta responsabilidade e do escrutínio público e municipal a que as Comemorações do 80º Aniversário do Núcleo de Monção da L.C. ficariam expostas. Ora, se o desafio era a esse a nível, só havia uma maneira de responder e de corresponder à confiança depositada: organizar e executar Cerimónias com todo o interesse e competência!

A Sessão foi presidida pelo Presidente da Direcção Central da Liga dos Combatentes, Tenente General, Joaquim Chito Rodrigues, que na Mesa tinha à sua direita os Oradores Convidados, e à sua esquerda, o Presidente e o Secretário do Núcleo de Monção da LC, Francisco José de Almeida e Carlos Anselmo, respectivamente.

Como é de direito, a Sessão foi aberta pelo Presidente da Liga, que cumprimentou a Mesa e a Assembleia presente, onde se encontravam as Autoridades Municipais, Militares e demais Convidados, em número na ordem da centena, dentre os quais se destacavam os Presidentes da Assembleia Municipal, o Vereador Dr. Paulo Esteves, numerosos Combatentes e uma representação da Irmandad Provincial dos Antigos Legioneros Españoles. Na sua mensagem, o Gen. Chito Rodrigues referiu-se em palavras muito elogiosas ao Núcleo de Monção, acentuando a sua componente social e a sua participação na comunidade donde emergiu.

Lodo em seguida, e por razões de agenda, usou da palavra o Vereador da Cultura do Município de Monção, Dr. Paulo Esteves, que emocionadamente se colocou como presente e sempre ao lado dos Combatentes de Monção, que apresentou como sendo uma referência de valores éticos e de permanente disponibilidade comunitária. A temática seleccionada para ser debatida, elegia como matriz o conceito de maior latitude e alcance mais abrangente para todos os foram Combatentes e não Combatentes:


3 GUERRAS – 1 RAZÃO: PORTUGAL

Da História de Portugal, foram escolhidas 3 épocas distintas:

1.    As Invasões Francesas, e, nesse período, foi abordada a questão da “Resistência das tropas espanholas e portuguesas à invasão francesas, pelo Rio Minho, incluindo a defesa do Rio Deva, antes chamado Mouretan, na comarca de Arbo”. A abordagem deste tema e o seu desenvolvimento, foi obra que esteve a cargo do Dr. António Troncoso de Castro, Coronel Auditor do Exército espanhol;

2.    A Primeira Grande Guerra, a participação e a pessoa do “Major Xavier da Costa e o seu sacrifício na frente militar (1918). Dulce bellum inexpertis”, foi o tema da intervenção do Professor Artur Anselmo, ilustre monçanense e Presidente da Academia das Ciências;

3.    A Guerra do Ultramar e as soluções bélicas e políticas em análise, foram superiormente tratadas pelo Ten. Coronel Pil. Av, João José Brandão Ferreira, na sua alocução que titulou como “Da legitimidade da Guerra do Ultramar ao mito da solução política”. 

Um dos momentos mais emocionantes desta Sessão de Conferências, foi a Homenagem aos Militares mortos ao serviço da Pátria, com a interpretação do “toque de silêncio”, tocado em saxofone pela solista Núria de Oliveira Soares, aluna do Centro de Cultura Musical de Famalicão, que se apresentou com o traje das lavradeiras de Viana, e emocionou profundamente todos os presentes, que a ouviram de pé, em profundo respeito e silêncio, sendo, a final, bem visíveis algumas lágrimas incontidas…

A Sessão foi completada com um curto período de questões aos Oradores, após o que o Presidente do Núcleo de Monção declarou o seu encerramento, em nome do Presidente da Mesa. Como é timbre e honra das reuniões de Combatentes, antes de abandonarem a sala, todos os presentes cantaram o Hino Nacional. O dia terminou com uma recepção oferecida pelo Núcleo de Monção da L.C. aos seus Convidados, na Casa do Pereiro, em Messegães.

No dia 24, domingo, com a presença do Presidente do Município, do Presidente da Assembleia Municipal e do Vereador da Cultura do Município, bem como outras Autoridades e Combatentes, foram homenageados os Combatentes mortos em combate, com romagem ao talhão da Liga dos Combatentes no Cemitério de Monção, deposição de uma coroa de flores no Memorial dos Combatentes e participação na Missa de sufrágio, mandada celebrar pelo Núcleo de Monção.

A todos quantos deram o seu contributo para a execução e brilhantismo destas Cerimónias, especialmente à Fanfarra Deu La Deu, o Núcleo de Monção presta a sua homenagem e protesta o seu enorme agradecimento.

http://grupoescomunicaciongalicia.com/?p=13536