Bem-Vindo à Página Oficial da
Liga dos Combatentes


 

 








 

 

 

 

 








 
 

 

 

  Notícias

Inauguração do Monumento de Homenagem aos Combatentes de Macedo de Cavaleiros


19.06.2016 - No passado dia 19 de Junho, foi inaugurado em Macedo de Cavaleiros, no âmbito do quinto aniversário do Núcleo local da Liga dos Combatentes, um Monumento de Homenagem aos Combatentes, naturais do concelho macedense, que lutaram por Portugal, na Grande Guerra e Guerra do Ultramar, numa cerimónia promovida pela Câmara Municipal e pelo Núcleo da Liga dos Combatentes, daquela cidade do nordeste transmontano.


O Monumento, localizado na Praça dos Combatentes, constitui pela sua imponência e presença física uma obra de grande qualidade arquitetónica, simbolizando a proa de um navio. O “mesmo” navio que transportou os milhares de Combatentes para os territórios do ultramar e os devolveu à Pátria.
A referida Praça foi alvo de obras de requalificação urbana profundas, para acolher o Monumento e, ao mesmo tempo, a transformar num sítio aprazível e de lazer, para a população e potenciais visitantes.

A cerimónia iniciou-se com a deposição de flores, junto do Memorial existente no Cemitério local, em memória dos que tombaram na Guerra do Ultramar. Seguidamente os convidados e população em geral, concentraram-se junto aos Paços de Concelho, seguindo em cortejo até ao local do evento, acompanhados pelos acordes da Banda da Associação Filarmónica de Brinço, por um grupo bastante expressivo de Combatentes, um conjunto de soldados da paz da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros e uma Força Militar do RI 19. Chegados ao local a Banda Musical entoou o Hino Nacional, tendo sido de seguida descerrada uma lápide evocativa da efeméride, pelo Secretário de Estado da Administração Interna, acompanhado pelo Presidentes da Câmara Municipal e da Liga dos Combatentes. Cumpriu-se um minuto de silêncio em honra dos que tomaram em defesa da Pátria, tendo sido agraciados alguns Combatentes com a medalha comemorativa das campanhas por terem exercido missões de soberania nos antigos território ultramarinos. Foram lidos os nomes dos 45 falecidos nos TO, usando posteriormente da palavra o Presidente do Núcleo anfitrião, Sr. António Baptista, o Presidente da Liga dos Combatentes, General Chito Rodrigues; o Presidente da Edilidade Macedense, Dr. Duarte Moreno e o Secretário de Estado da Administração Interna, Dr. Jorge Gomes.

Na sua intervenção o Presidente do Núcleo anfitrião começou por citar Fernando Pessoa, dizendo que, “Deus quer, o Homem sonha, a obra nasce”, como exemplo da materialização da ideia com que há muito sonhava. Agradeceu à Câmara Municipal e ao seu Presidente, todo o empenhamento demonstrado na sua construção, afirmando que com esse gesto demonstrou ser amigo dos Combatentes, não só dos de Macedo, como dos de todo o mundo. Através deste reconhecimento público foi praticado um ato de justiça e assim “os Combatentes regressaram agora espiritualmente à sua terra”.

O General Chito Rodrigues começou por afirmar que há dias na vida dos homens e das comunidades em que a história acontece, dizendo que aquele Monumento era o sonho de um Combatente que enriqueceu a cidade com um marco histórico. Felicitou o Presidente do Município por ter transformado um local abandonado num sítio digno. O Monumento ora inaugurado constituía para as gerações futuras exemplo dos seus maiores, proporcionando momentos de meditação que ajudam a viver o presente e a decidir o futuro no caminho do progresso, da honra e dos valores pelos quais vale a pena lutar. Reforçou a ideia que se trata de símbolos da alma Portuguesa. A população Portuguesa, as autarquias e os combatentes a perpetuar o esforço e o sacrifício que fizeram muitos dos cidadãos Portugueses que foram chamados para defender os interesses vitais de Portugal. “Hoje levantamos em Macedo de Cavaleiros uma verdadeira obra de arte, que transforma esta praça, onde em tempos esteve um cemitério. Onde caíram lágrimas das gentes, hoje está transformado numa praça que honra a cidade, em homenagem àqueles que caíram ao serviço de Macedo e de Portugal.”

O Dr. Duarte Moreno disse a dado passo da sua alocução: “Este é um espaço que faz parte da nossa história. Aqui foi o único cemitério de Macedo de Cavaleiros a ter o nome da Santa Bárbara. Com a formação do Núcleo da Liga dos Combatentes, consideramos que este seria um espaço para homenagearmos os combatentes e preservarmos a memória dos Macedenses. E hoje concretizamos esta homenagem àqueles que combateram em nome do país e aos Macedenses e suas famílias que aqui permaneceram antes da transladação.”

Por último, da alocução do Dr. Jorge Gomes destacamos: “É uma inauguração importante para as nossas memórias. É uma inauguração para todos os Portugueses e para a sua memória. Todos temos de estar gratos a todos aqueles que morreram por terem combatido para a nossa paz. A Câmara de Macedo de Cavaleiros fez um monumento de muita nobreza, que todos devemos visitar, ver, rever e pensar. E o pensamento que nos ocorre é mesmo que guerra mais não queremos. Chega! Já chega de termos combatentes mortos!”

Estiveram presentes nesta cerimónia várias entidades civis e militares do concelho de Macedo de Cavaleiros, designadamente, o Presidente da Assembleia Municipal, Dr. António Pires Afonso; o Presidente da Câmara Municipal de Macedo, Dr. Duarte Moreno; o Presidente da Liga dos Combatentes, General Chito Rodrigues, acompanhado pelos vogais Tenente-Coronel Pires Martins e Arquiteto Eduardo Varandas; presidentes dos Núcleos de Bragança, Chaves, Mirandela, Vila Real e Foz Côa da LC; Comandante do RI 19, Coronel Armando dos Santos Ramos; vereadores do município, presidentes das juntas e uniões de freguesias do concelho; Comandante Territorial do Destacamento de Bragança da GNR, representante da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Macedo, muitos combatentes e população em geral. Depois da bênção do Monumento pelo Sr. Cónego Melo, foi entoado o Hino da Liga dos Combatentes, após o que os presentes se dirigiram para a Igreja de Santa Maria, onde foi celebrada uma Missa de Sufrágio pelos Combatentes falecidos. Durante a homilia o celebrante, para além de dissertar sobre a mensagem do Evangelho, referiu-se elogiosamente, à memória daqueles que deram a vida pela Pátria. Terminada a Eucaristia teve lugar um almoço convívio, que se realizou nas instalações do pavilhão municipal, próximo da Igreja de Santa Maria.

As cerimónias militares de homenagem aos mortos foram prestadas por uma Força Militar do Regimento de Infantaria Nº 19 que desempenhou com muita dignidade e apreço essa função.