Bem-Vindo à Página Oficial da
Liga dos Combatentes


 

 








 

 

 

 

 








 
 

 

 

  Notícias

Inauguração do Monumento de Homenagem aos Combatentes do Concelho de Santiago do Cacém


24.07.2016 - No passado dia 24 de Julho, foi inaugurado, na cidade de Santiago do Cacém, um Monumento de Homenagem aos Combatentes, naturais daquele concelho, que lutaram por Portugal, na Grande Guerra e Guerra do Ultramar, numa cerimónia promovida pela Câmara Municipal e pelo Núcleo de Vila Nova de Santo André da Liga dos Combatentes. O Monumento, localizado junto ao Auditório Municipal António Chaínho, é constituído por uma base quadrada com 2.00m de lado por 90 cm de altura, sobre a qual assenta uma coluna central, que por sua vez “prende” três elementos individuais. 


O corpo central representa Portugal Continental, a chamada Metrópole, e os elementos laterais os três territórios, Guiné, Angola e Moçambique do antigo Império Português, onde se verificaram ações de combate, durante a Grande Guerra e a Guerra do Ultramar e que estiveram sob administração portuguesa ao longo de mais cinco séculos. Foi construído em betão revestido a granito. Nele estão inscritos os nomes de todos os Combatentes que tombaram em África e na Flandres, ao serviço de Portugal. Trata-se de um projeto da autoria do Arqt.º Eduardo Varandas, vogal da Direção Central da Liga dos Combatentes.

Estiveram presentes nesta cerimónia várias autoridades civis e militares do concelho, designadamente, o Presidente da Autarquia Santiaguense, Dr. Álvaro Beijinha; o Presidente da Liga dos Combatentes, General Chito Rodrigues, acompanhado pelo vogal da Direção Central, Arqt.º Eduardo Varandas e pelo Presidente do Núcleo de Winnipeg da LC, Canadá, Sr. Pedro Correia; Presidente do Núcleo de Vila Nova de Santo André, Sr. Vítor Costa; vereadores municipais; uma delegação do Núcleo de Loulé da LC; representantes de várias Associações de Combatentes; Comandante do Posto da GNR local, muitos combatentes e população em geral. Depois da bênção do Monumento pelo pároco local, foram colocadas duas coroas de flores, em honra dos que tombaram em defesa da Pátria, junto à base do Monumento e guardado um minuto de silêncio.

Usaram da palavra o Presidente do Núcleo anfitrião, para agradecer todo o apoio da autarquia local à concretização daquela obra, o Arqt.º Eduardo Varandas, na qualidade de autor do projeto, para elucidar os presentes do seu significado e os Presidentes da Liga e do Executivo Municipal.

O General Chito Rodrigues, na sua intervenção elogiou a Câmara Municipal por ter tomado a iniciativa de materializar aquela obra no dia do Município, afirmando que aquele Monumento era uma homenagem à paz que se iria juntar a mais de 400 lugares onde outros com igual significado foram erigidos, por todo o País. Declarando que o esforço daqueles que um dia foram chamados a cumprir os seus deveres para com a Pátria sirva de exemplo aos vindouros. Por sua vez o Dr. Álvaro Beijinha, começou por agradecer a presença do Presidente da Liga e historiar um pouco todo o processo que deu origem aquele acontecimento, Concluindo a sua alocução afirmando que aquele Monumento, ao representar uma época que marcou várias gerações era, por isso mesmo, uma justa homenagem aos que deram a vida pela Pátria e se iria perpetuar para servir de exemplo às próximas gerações.

As cerimónias terminaram com a entoação do Hino Nacional.

Finalmente seguiu-se um almoço de convívio, que se realizou num restaurante local, no decorrer do qual foi também entoado o Hino da Liga. As cerimónias militares de homenagem aos mortos foram prestadas por uma Força Militar do Regimento de Artilharia N.º 5, cujo serviço esteve à altura do acontecimento.