Bem-Vindo à Página Oficial da
Liga dos Combatentes


 
 
 

 

 

 








 
 

 

 

 

  Notícias

Marcha dos Combatentes pela Paz


21.09.2017 - A Federação Mundial dos Antigos Combatentes (FMAC) organiza a nível global a Marcha dos Combatentes pela Paz, através das associações de combatentes nela filiadas em todo o mundo, e o evento é patrocinado pelas Nações Unidas para celebrar o Dia Internacional da Paz que se comemorou em 21 de Setembro.  Em Portugal as Associações filiadas na FMAC são a Liga dos Combatentes e a ADFA (Associação dos Deficientes das Forças Armadas), que se reuniram para organizar a Marcha dos Combatentes pela Paz no dia 23 de Setembro.  O programa constou de uma cerimónia que antecede a partida da prova em que se leu a mensagem que foi enviada pelo Secretário-Geral da ONU, discursos alusivos à data pelos Presidentes das duas Associações de Combatentes , deposição duma coroa de flores no Monumento em homenagem aos Mortos pela Pátria e partida da prova que vai desde o Museu do Combatente até ao MAAT. Participaram cerca de 150 atletas que deram grande colorido aquela zona onde se correu a prova sempre junto ao rio Tejo.


Mensagem do Secretário-geral da ONU

O Dia Internacional da Paz, dá-nos oportunidade para reflectir nas consequências cruéis da guerra. Escolas em ruína, hospitais bombardeados, famílias separadas, refugiados em busca de esperança, países em crise. As Nações Unidas nasceram das cinzas duma terrível guerra mundial.

A nossa missão é de trabalhar em prole da Paz todos os dias e em todo o mundo. Não devemos deixar que qualquer interesse de grupo, ambição nacional ou diferença politica ameacem a Paz. Neste Dia Internacional da Paz apelamos a um cessar-fogo à escala mundial.

Não devemos nunca renunciar a pôr fim aos conflitos armados. Todos têm direito à Paz e aspiram à Paz. A Paz é essencial ao progresso e bem-estar: à felicidade das crianças, à prosperidade das populações e ao desenvolvimento dos países. Devemos trabalhar em conjunto, hoje e sempre a favor da Paz que todos desejamos e merecemos.


O Secretário-Geral
António Guterres